Ayin Tová – עַיִן טוֹבָה “O olho bom”

imagesham

Ayin Tovah – “O olho bom” – Generosidade.
Considere esta perspectiva; Tanto o Otimista e o Pessimista são ‘crentes em algo’, mas cada um é responsável por sua própria visão das coisas em sua volta.

Nós vemos aquilo que nós queremos ver. Como Yeshua (Jesus) disse; ‘seja feito para você, de acordo com sua fé (confiança ou fidelidade)’ (Mateus 8:13, 9:29).

Há uma história interessante que narra a historia de dois jovens que queriam retratar em seus quadros a essência da beleza; Ambos saíram procurado capturar a essência da beleza em suas pinturas. Um dos artistas procurou por todos os lados a ‘face perfeita de beleza’, mas nunca achou. Tragicamente, ele mais tarde desistiu da pintura e viveu desconsolado. O outro artista, no entanto, simplesmente pitou cada face que viu e procurou encontrar a beleza em cada uma delas.

Agora, aqui está à pergunta: qual deles dois foi verdadeiro, não há a perfeição ou há?

O olho do Talmid – discípulo… Da maneira que escolhemos ver, certamente, é uma decisão “espiritual”. Os Sábios rabinos da antiguidade ensinavam; ‘quem tem as seguintes 3 características está entre os discípulos do nosso pai Abraão (Avraham Avinu); e quem tem 3 diferentes traços destas características está entre os discípulos do maléfico Balaão (Bil’am).
Aqueles que têm um Ayin Tovah – “olho bom” (Generoso), Ruach Nemucha – humilde de espírito e Nefesh Shefalah – Mansidão são os discípulos do nosso pai Abraão. Mais quem tem um Ayn haRá – “olho mal” (invejoso), Ruach Gevoha – Arrogância e Nefesh Rechava – Ganância são discípulos de Balaão o ímpio’ Mishná: Pirke Avot 5:22. (Lucas 11:34-35)

De acordo com estes antigos Sábios, a diferença entre os discípulos Abraham e os discípulos de Balaão estão na presença (ou ausência) destas 3 Midot haLev (Qualidades do coração), embora a mais importante delas é o Ayin Tovah – “o olho bom” (generosidade, gratidão… Gálatas 5:22).

O olho de Abraão… Mas o que é Ayn Tovah – ‘O olho bom’? (Lucas 11:34-35). Seria uma metáfora para um “o jeito da ‘Poliana a menina’ de ver a vida” – encontrando o bem em cada circunstância da vida, não importa quão difícil?

Seria a prática de um “jeito alegre de levar a vida” e que acredita que tudo vai dar certo no final? Ou viver reinterpretando os acontecimentos ruins como uma experiência para suportar a filosofia que este é o “melhor dos mundos possíveis”?

O Sábio Rabino Rashi (1040-1105 “França”) ensinava que aquele com um Ayin Tovah – “olho bom” estima a honra dos outros como a sua própria: é um ‘olho’ que respeita e valoriza o que ele vê. (Gálatas 5:22)

O Rabino Maimônides (1135-1204 Espanha) diz que o Ayin Tovah – “olho bom” é a capacidade de estar satisfeito com o que se têm na vida e alegra-se com os êxitos dos outros: é um ‘olho’ livre do espírito de inveja e ganância. Outros sábios disseram que o Ayin Tovah – “olho bom” indica um espírito generoso, e de gratidão em relação aos outros: É um olhar dirigido para o exterior, que irradia conforto e vê as necessidades do próximo.

Uma pessoa com um Ayin Tovah – “olho bom” olha para as coisas na perspectiva do ‘amor’.
Um Ayin Tovah – “olho bom” olha para as circunstâncias, e especialmente nas que envolvem o próximo, para encontrar algo de bom e belo…
Não há nenhum vestígio de “concorrência”, inveja, maldade; não há nenhum traço de ressentimentos ou amargura.
Uma pessoa com Ayin Tovah – “olho bom” ignora os defeitos do próximo e vê a virtude e o valor de uma pessoa criada b’tzelem Elohim (na imagem de D-us). (1°João 4:7-8)

As Escrituras declaram: טוב עין הוא יברך – Tov Ayin hu yevorachO Olho Bom (generoso) será abençoado… Provérbios 22:9 (Lucas 11:34-35)

O ‘olho’ de Balaão… O Ayin haRá  (Olho Mal) não quer ver o bem nos outros, mas relaciona-se com outras pessoas como se fossem ‘auto-ameaças’…  É o ‘olho’ do medo, da inveja, da maledicência, da ganância e do preconceito. Por esse motivo está pessoa não será boa para com os outros, uma vez que é (inevitavelmente) consciente de si e das suas próprias imperfeições, e o ‘bem-estar alheio’ o leva a acusar a si mesmo da sua própria ‘doença na alma’. (Gálatas 5:19-21)

Esta pessoa racionaliza sua perspectiva ruim, e cinicamente duvida das motivações dos outros, chamando o bem de mal e mal de bem. Essa visão deturpada provoca uma inversão de valores, no qual o que é importante é considerado insignificante, e vice-versa.
Eventualmente essa maneira de ver leva à ‘loucura’, e uma negação fixa de tudo o que é digno e de valor.

Quando o Olho é mal (Ayin haRá) ele se torna escravo dos propósitos do pecado e do Yetzer HaRá (inclinação para o mal – desejos da carne).

O rabino Rashi disse: ‘O coração e os olhos são espias do corpo e podem levar uma pessoa a desviar, Os olhos vêem o coração cobiça e o corpo transgride(números 15:39)

Um grande Sábio Rabino ensina no Talmud na Gemará; ‘que 9 de 10 pessoas morrem por causa do seu Ayin haRá (ganância, inveja, soberba …) um outro ensina que; ‘ a Lashon haRá (maledicências) e Ayin haRá (ganância, inveja, soberba …) causam a Tzara’at Ayin – O “Olho leproso” isto é; aquela pessoa que para ela é impossível olhar para coisas e a vida positivamente.
Como Yeshua (Jesus) ensinou; É os teus olhos a lâmpada do teu corpo; se os teus forem Ayin Tová (Olho Bom), todo o teu corpo será luminoso; mas, se forem Ayn haRá (Olho Mal), o teu corpo ficará em trevas, Repara, pois, que a luz que há em ti não sejam trevas. Lucas 11:34-35.

Tragicamente, é possível ter um Ayin haRá (Olho Mal), na direção do próprio D-us. Quando temos dúvidas quanto a sua bondade ou vivendo sempre no medo do futuro, desta forma não somos tão diferente do ‘servo que via D-us como um carrasco’ – ‘Tive medo do senhor, porque sei que é um homem duro, que tira dos outros o que não é seu e colhe o que não plantou.’ Lucas 19:21

Nossa falta de confiança remove a luz do nosso caminho, até que nos encontramos no poço do desespero, não é possível ver o caminho a percorrer. ‘Portanto, caso a luz que em ti há sejam trevas, que grandes trevas serão!’ Mateus 6:23

Os olhos da fé… Ayin Tová  (‘Olho Bom’) é o olhar da fé, esperança e amor; é a Perspectiva do Reino de D-us… Vendo o próximo com o Ayin Tová (‘Olho Bom’) o ajuda a acreditar no seu valor, e que, por sua vez, ajuda a superar o mundo que vive. O Ayin Tová (‘Olho Bom’) nos leva a viver pelo princípio da Tzedaká (Justiça – caridade), portanto, é um meio de reparação de nosso mundo (Tikun Olam), convidando o melhor de si para ser divulgado sem medo.

É uma mensagem de amor e graça para outros em nossas vidas; ‘você é importante; você é valioso; você Importa; sua vida tem significado eterno… ’

Escolhendo ver o melhor nos outros muitas vezes o leva a ver o seu verdadeiro valor.

Sê o primeiro

Deixe uma resposta