הושע הנביא O profeta Oséias –

Home Fóruns Fórum Yeshua Chai Soando o Shofar הושע הנביא O profeta Oséias –

Este tópico contém 1 resposta, possui 1 voz e foi atualizado pela última vez por  sofer 7 anos, 10 meses atrás.

Visualizando 2 posts - 1 até 2 (de 2 do total)
  • Autor
    Posts
  • #24525

    sofer
    Participante

    הושע הנביא

    O profeta Oséias – (הוֹשֵׁעַ) Osheah foi para o Reino do Norte de Israel (10 Tribos) o que o profeta Jeremias seria mais tarde para o Reino do Sul de Israel (Judéia). (Oséias era um convertido ao “judaísmo”)

    Um homem de muitas dores, inconformado pela situação vigente e também sendo oprimido pela obstinação de seu povo, uma voz que clamava na terra desolada pela injustiça e idolatria, um profeta levantado por D-us em primeiro lugar para admoestar o povo e em seguida, para testemunhar finalmente o exílio de seu povo e sua destruição (isto é o;10 Tribos – O Reino do Norte).

    No caso de Oséias, no entanto, D-us fez da vida íntima e familiar do profeta em uma ‘metáfora’ de seu relacionamento conturbado com Seu povo e, portanto, D-us ordenou-lhe casar-se com uma prostituta – Zoná para que o povo compreendesse a profunda indignação de D-us sobre infidelidade de Israel:

    Disse, pois, Adonay a Oséias: Vai, toma uma mulher de prostituições, (אֵשֶׁת זְנוּנִים) e filhos de prostituição; porque a terra certamente se prostitui, desviando-se de Adonay. (Ósseas 1:2).
    Oséias obedeceu ao S-nhor e se casou com uma mulher chamada Gomer, que lhe deu um filho chamado Jezreel (i.e., Yez’ra’el: יִזְרְעֶאל, D-us semeia), assim chamado porque logo cairia o julgamento sobre A dinastia de Yehú (isto é, do Reino de Israel/Norte).
    Israel logo enfrentaria o julgamento no ‘vale de Jezreel’.

    Em algum momento posterior Gomer concebeu novamente, mas não por meio de Oséias, e, por conseguinte, a filha que nasceu foi chamada ‘Sem Misericórdia’ (ou seja, Lo Ruchamah: לא רֻחָמָה), assim chamada porque para Israel não seria mostrado misericórdia, quando o exército assírio chegasse para arrasar e levar o povo.

    Gomer mais tarde concebeu e deu à luz um filho, novamente não por
    Oséias, que viria a ser chamado de ‘Não meu povo’ (ou seja, Lo Ami – לא עַמִּי), assim denominado para proclamar que o povo tinha se separado de Hashem por causa de sua idolatria incorrigível.

    No entanto, D-us sempre é fiel e sua Chesed (graça) perdura eternamente, e, portanto, ELE prometeu que nos “últimos dias” (בְּאַחֲרִית הַיָּמִים), Gomer a Zoná (alude a Israel) e seus filhos seriam restaurados para ELE.

    Sobre o futuro de Israel (10 tribos) e Judá (Judeus), Adonay diz:

    ‘Embora fosse dito para eles, ‘você não é meu povo’, na verdade será dito a eles: ‘vocês são filhos do D-us vivo (בְּנֵי אֵל־חָי – Benei El Chay).
    Em seguida, o povo de Judá e o povo de Israel serão reunidos juntos, e eles vão nomear para si um líder e florescerão na terra. Certamente, o dia de Jezreel vai ser ótimo!

    Em seguida, você irá chamar seu irmão, ‘meu povo’
    (ou seja, Ami: עַמִּי), e você vai chamar sua irmã, ‘Misericórdia’
    (ou seja, Ruchamah: רֻחָמָה)’. (Ósseas 1:10-2:1).

    O Profeta então voltou para à hora do juízo iminente que em breve aconteceria ao infiel Israel, usando a dolorosa experiência do seu próprio casamento profanado por sua mulher Gomer para mostrar a indignação de D-us. (Ósseas 2:4).

    Apesar do juízo próximo, no entanto, o Profeta repete a promessa que o Israel infiel um dia vai ser totalmente reconciliado com D-us.

    Naquele tempo, declara Adonay, você vai me chamar, ‘de meu homem (marido)!’ (ou seja, Ishi: אִישִׁי). E você nunca mais irá chamar-me, ‘de meu dono’ (ou seja, Ba’ali: בַּעְלִי – ‘Ba’al’ Significa Dono – também era um nome de um deus pagão).
    Para EU remova os nomes dos ídolos de seus lábios, para que vocês nunca mais pronunciem seus nomes. (Ósseas 3:1-5).

    וְאֵרַשְׂתִּיךְ לִי לְעוֹלָם
    וְאֵרַשְׂתִּיךְ לִי בְּצֶדֶק וּבְמִשְׁפָּט וּבְחֶסֶד וּבְרַחֲמִים
    וְאֵרַשְׂתִּיךְ לִי בֶּאֱמוּנָה וְיָדַעַתְּ אֶת־יְהוָה
    E casarás comigo para sempre; casarás comigo em justiça,
    e em juízo, e em benignidade, e em misericórdias.
    E casarás comigo em fidelidade,
    e terás intimidade com Adonay.
    (Ósseas 2:19-20).

    Estas palavras preciosas são um “eco do futuro” que prevê também a Restauração futura e a salvação de Israel.

    Estas palavras de amor pressagiam o grande dia quando ‘todo o Israel será salvo’ (Romanos 11:26). (Ósseas 2:19-20 – Hoje estes versos são muitas vezes recitados em cerimônias de noivado tradicional (ou seja, Erusin: אֵרוּסִין), e todos os dias quando os Tefilin (תפילין) são colocados durante os serviços (cultos) de manhã por judeus ortodoxos e praticantes).

    Esta é ainda outra história surpreendente do amor apaixonado de D-us por nós revelado nas Escrituras…. D-us é como um ‘amante apaixonado’, que se recusa a desistir de nós. Ele nos ama mesmo em imundícia da nossa depravação e nos redime de uma vida de vergonha. ELE nos procura com zelo, leva-nos de volta e restaura-nos para um lugar de honra e alegria…

    D-us é nosso criador, nosso Rei, nosso juiz, nosso Redentor-, mas acima de tudo ELE é Pai de Yeshua (Jesus) e nosso Pai que nos ama profundamente como seus filhos…
    Mas, como o profeta Oséias revela, Adonay é mesmo comparado ao Marido fiel, na verdade, até mesmo nosso amante! (cantares 1:2).

    Yesh Ohev davek me’ach
    (יֵשׁ אהֵב דָּבֵק מֵאָח):
    “Há um “amante” mais chegado do que um irmão”
    (Provérbios 18:24).

    #24537

    sofer
    Participante

    O Messias nós ensinou a não ter medo de pessoas, que só são capazes de matar o corpo, mas não a alma (Mateus 10:28). No entanto, ainda há o grande perigo que a própria alma pode ser destruída pelo meio de nossa própria apatia.

    Neste mundo, podemos ser mortos pela mão de outros, mas em um sentido “espiritual”, nós apenas podemos ser mortos se nós voluntariamente nos destruirmos a nós mesmos.

    Por conseguinte, nossa oração deve ser, muitas vezes, “S-nhor, salvar-nos de nós mesmos – do nosso próprio desespero, de nossos próprios impulsos autodestrutivos; ajude-nos afirmar a sua promessa de vida dada a nós todos os dias. Amém.”

    ‘Nós encontramos o inimigo, e ele está conosco, somos nós mesmos’, mas se é assim, como é que vamos ser capazes de superar a enganação de nossos corações?

    Como podemos derrotar nossa própria maldade interna (o Yetzer Hará), nosso subconsciente “autodestrutivo”? Como podemos transcender a inclinação para o mal (Yetzer Hará) e nosso próprio desejo natural de dualidades?

    O Messias nos dá a resposta: ‘santifica-os na verdade; TUA palavra é a verdade’ (João 17:17).

    Nós somos capazes de superar nossa tendência natural para a maldade (Yetzer Hará) ao ficarmos aterrado na palavra da verdade, ou seja, na Torá e nas kitvei HaKodesh, as Sagradas Escrituras (2 Timóteo 2:15).

    ‘Pois tudo o que foi escrito, foi escrito para nossa instrução,… ’ (Romanos 15:4). É a Torá (Escrituras) que; ‘são capazes de torná-lo sábio para a salvação através da fé em Yeshua o Messias’ (2º Timóteo 3:15).

    Note que: quando o Emissário Paulo afirmou estas coisas não havia o chamado ‘novo testamento’.

    Naturalmente, a Torá (e as Escrituras), elas próprias são os meios para o fim de encontrar o próprio D-us e participar do poder do Espírito Santo de D-us, mas elas são fundamentais para toda a experiência e toda a experiência “espiritual”, que deve ser aterrada na SUA verdade… Vaidaber Hashem el… E disse D-us á… (Gen. Êxodo… e etc.) – (veja: Isaias 8:20).

    As promessas de D-us nos dão vida (Salmo 119:50).

    A descrição dada pelo Emissário Paulo sobre a Torá de D-us e as Escrituras são chamadas de “espada do Espírito” (Efésios 6:10-18, Hebreus 4:12).

    Estudar a Torá (e Escrituras) de D-us é o meio divinamente estabelecido para obter discernimento e perseverança para a guerra “espiritual” deste mundo.

    Observe a conexão entre a palavra e o espírito nesses versículos… ‘O caminho dos justos (Derech Tzadikim – דֶּרֶךְ צַדִּיקִים), é marcado pelos frutos do espírito. Portanto o livro de Salmos começa; ‘Bendito é a pessoa que não segue o conselho dos maléficos (רְשָׁעִים), não imita a conduta dos pecadores (חַטָּאִים), nem se senta junto com debochadores; mas seu desejo é a Torá de Adonay, e em sua Torá ele medita dia e noite’ (Salmo 1:1-2).

    כִּי אִם בְּתוֹרַת יְהוָה חֶפְצוֹ וּבְתוֹרָתוֹ יֶהְגֶּה יוֹמָם וָלָיְלָה

    Esta pessoa será (é) abençoada porque aquele que deseja a verdade de Hashem encontrou um grande tesouro, e tudo o que ele coloca a mão para fazer deve prosperar (Salmo 1:3).

    Observe que a palavra ‘desejo’ (ou seja, chafetz: חָפֵץ) expressa o desejo mais profundo do coração ou alma (Mateus 15:19; Lucas 6:45).

    Forte desejo – paixão – é vital para a apreensão da verdade, e é um grande dom de D-us para ser livre da escravidão do vicio e da irrefletida e visceral escravidão da cobiça humana.

    Como David disse; ‘minha alma é consumida com anseios por seus chukim (decretos) em todos os momentos’ (Salmo 119:20).

    Chukim (singular; Chuk):

    São estatutos e decretos divinos dados sem nenhuma razão aparente. Tais como um exemplo clássico o da ‘vaca vermelha’ no qual segundo a tradição nem mesmo o Rei Salomão entendeu o porquê. Outro exemplo são as leis dietéticas tais como não comer carne de porco, camarão e etc. outro exemplo são as leis de nidá (da pureza familiar), outro seria as leis de não ter roupa misturada com linho e algodão e etc.

    A palavra ‘Torá’ aqui se refere também a “sabedoria” de D-us, sua vontade, O caminho – não exclusivamente aos mandamentos – Mitzvot (ou seja, Mishpatim, Chukim, Eidot) descritas na Bíblia.

    A pessoa que “reflete” ou medita sobre a Torá de D-us vai deixar a verdade capacitar suas decisões neste mundo. A palavra hebraica Yehegeh (יֶהְגֶּה) significa que a pessoa justa é tão preenchida com a verdade da Torá (e Escrituras) que as palavras da Torá saem da sua boca como se por conta própria.

    Esta pessoa irá agarrar e tomar da árvore da vida (Salmo 1:3).

    Quem realmente deseja a Torá de D-us e medita sobre ela “dia e noite” será salvo do julgamento que vai acontecer aos Reshayim-Maléficos (Salmo 1:5-6).

    Estudar e viver a verdade de D-us são, portanto, os meios de sua preservação e perseverança neste mundo. Vivendo a verdade das Escrituras nos levará através do corredor deste mundo ileso pelo juízo que cai sobre ele (João 13:17).

    ‘Tu, que me fizeste passar por penosas Tzuris (tribulações, dores, problemas e etc.), de novo me restituirás a vida, e me tirarás dos abismos da terra. ’ (Salmo 71:6-20).

    Baruch ATA Adonay Eloheinu haNoten laiaef ko’ach – ‘Bendito sejas TU Adonay nosso D-us, que dá força aos cansados’

Visualizando 2 posts - 1 até 2 (de 2 do total)

Você deve fazer login para responder a este tópico.