Hoshana Rabá –

Home Fóruns Fórum Yeshua Chai Soando o Shofar Hoshana Rabá –

Este tópico contém 1 resposta, possui 1 voz e foi atualizado pela última vez por  sofer 6 anos, 5 meses atrás.

Visualizando 2 posts - 1 até 2 (de 2 do total)
  • Autor
    Posts
  • #24858

    sofer
    Participante

    Hoje a noite se inicia Sukot (Tabernáculo 19/9 a 25/9/13), por sete dias os judeus em todo o mundo comerão em pequenas cabaninhas, balançarão o bouquet das quatro espécies {ארבעה מינים – Lulav (לולב)} nas quatro direções cardeais Levítico 23… Muito da Festa de Sukot nos faz relembrar que; verdadeiramente como ‘O povo de D-us’ somos “estrangeiros” neste sistema de mundo, que, literalmente, estamos distantes e vivemos como “estrangeiros (גרים) e ou mesmo tempo residentes (תושׂבים) de direito” – é o principio bíblico atual de ‘já, mas não ainda’… Assim, Abraham Avinu disse aos filhos de Chet: ‘Eu sou um estrangeiro e residente (Ger ve’Toshav – גֵּר וְתוֹשָׁב ) entre vós…’ (Gn 23:4) , e também David HaMelech entendeu: ‘Porque somos estrangeiros (גרים) com vocês, meros residentes (תושׂבים), como os nossos antepassados. … (1 Crônicas 29:15 ).
    Subjacente à aparência superficial da vida está uma realidade mais profunda que aparenta, ou seja, verdadeiramente, é real e duradoura. Os filhos da fé “vêem o que é invisível” (2 Coríntios 4:18) e entendem (ou seja, literalmente aceitam) que a ‘forma presente deste sistema de mundo está se esvaecendo, terá um fim’. (1 Coríntios 7:31)

    Portanto uma vida de fé, de fato, nos chama a viver como Toshavim (residentes) porem, todavia como Gerim (estrangeiros) que se encontra em uma infinita ‘distância’ do mundo das aparências e que buscam uma eterna Sucot (habitação), o que significa que estamos sempre com uma “saudade de um lar e um corpo que um dia já tivemos” (Hebreus 11:9-10).

    A palavra aramaica ‘ushpizin’ (אוּשְׁפִּיזִין), daí vem a palavra portuguesa Hóspede, refere-se aos sete “hóspedes”, que se diz (metaforicamente) visitar-nos durante a Festa de Sukot, a saber : Abraão , Isaac , Jacó, José , Moisés, Arão, e David, respectivamente . Segundo a tradição, em cada noite um convidado diferente (ie, ushpiz: אוּשְׁפִּיז) entra na Suká, e devemos simbolicamente recebê-los, oferecendo-lhes um lugar na nossa mesa (isto é similar à tradição de receber Elias durante a Páscoa).

    Na primeira noite vem Abraham Avinu, na segunda, Itzchak, e assim por diante. Nas Boas Novas (בשורות) segundo Yohanan (João), lemos que Yeshua disse que iria até a Festa dos Tabernáculos (Sukot) em oculto ( ἐν κρυπτῷ ) , talvez como um ushpiz (João 7:10).
    “Minha hora ainda não chegou” (João 7:6), que pode aludir à idéia de que ele iria visitar o povo em ‘oculto’ ( ἐν κρυπτῷ ) , como um ushpiz, mais tarde, durante a Festa, e não como o ‘Messias Ben David’, o Rei Messias.
    É interessante que os ‘os da Judéia estavam procurando por ele’ no festival, e havia muito ‘burburinho sobre Ele’ entre as pessoas em suas ‘sukas’.
    Durante o ‘meio do período da Festa’, talvez no quarto dia (o “Dia de José”), Yeshua foi ao Templo (בית המקדש) e começou a ensinar o povo (João 7:14) , e no último grande dia , chamado Hoshana Rabá , quando o Sumo Sacerdote fazia um cortejo ate a piscina de Shiloach (שילוח) durante o ritual de libação de água , Yeshua levantou-se e gritou: ‘Se alguém tem sede , venha a mim e beba’ (João 7:38). Ele então, mais tarde aconselhou o povo à ‘julgar segundo a reta justiça’ (םמִשְׁפַּט צֶדֶק שְׁפטוּ), isto é, a olhar além das aparências para encontrar o cerne da questão.
    No último grande dia de Sukot, o 7º dia, chamado Hoshana Rabá, o Sumo Sacerdote liderava uma procissão final ao conjunto de piscinas de Shiloach (Siloé, que significa o Enviado), onde ele iria encher um jarro de ouro com água e, em seguida, retornar para o pátio do Templo. Quando o Sumo Sacerdote derramava a água, a grande multidão de pessoas balançavam seus lulavot (as 4 espécies) e cantavam em voz alta : ‘Hoshia na Adonay … Baruch be’shem Adonay… Nos salva Adonay… Bendito o que vem em nome de Adonay’ (Salmo 118:25-26)

    Finalmente, na manhã seguinte da Festa, chamado de Shemini Atzeret, o 8º dia, Yeshua voltou para o Templo (בית המקדש) e disse: ‘Eu sou a luz do mundo. Quem me segue não andará nas trevas, mas terá a luz da vida’ (João 8:12) , isto para lembrar as palavras do profeta :

    ‘… e águas vivas fluirão de Jerusalém , porque Adonay será rei sobre toda a terra Naquele dia Adonay será Um e seu nome Um’ (Zacarias 14:6,9 ; Isa 13:10 ; 30:26 ) . Que isto aconteça breve em nossos dias.

    Nota que: O livro histórico ‘Livro dos Jubileus’ diz que a primeira Suká foi construída por Abraão quando ele recebeu os três anjos que vieram para dizer-lhe que sua esposa Sarah iria finalmente ter um filho (Gen. 18:1-10).
    Isto é significativo, porque liga também a festa de Sukot com a Akeidá (o sacrifício de Isaque).
    Na verdade, a primeira vez que a palavra ‘Amor’ (אהבה) aparece nas Escrituras refere-se ao amor (Ahavá) de Abraão para seu filho Isaque. A mensagem do amor de um pai para seu filho que foi oferecido como sacrifício prefigura claramente a maior mensagem de Akeidá das Boas Novas (João 3:16).

    Portanto, reconhece hoje e medita em teu coração: Adonay é o único D-us, tanto no alto do céu, como cá embaixo, na terra. Não existe outro! (deuteronômio 4:39)
    והיה יהוה למלך על כל הארץ ביום ההוא יהיה יהוה אחד ושׂמו אחד
    “Ve’haya Adonay le’melech al kol ha’aretz,
    Ba’yom hahu yihiyeh Adonai echad,u’shemo echad.”

    Então Adonay será Rei sobre toda a Terra; naquele dia, Adonay será Um, e seu Nome Um. (Zacarias 14:9)

    #24860

    sofer
    Participante

    Durante Sukot (Levítico 23:39-42) usamos as ‘quatro espécies’ que simbolizam o fruto da terra (Lev. 23:40). O Etrog (אֶתְרג) , um limão como uma cidra, (limão siciliano, Cidrão) é usado como ‘o fruto de árvores formosas’, e é muitas vezes considerado como um símbolo do coração (לב). Os nossos sábios (החכמים) ensinavam que a palavra Etrog (אֶתְרג) pode ser vista como um acrônimo para a palavra ‘fé’/Emuná (אֱמוּנָה), ‘arrependimento’/Teshuvá (תְּשׁוּבָה), ‘cura’/Refuá (רְפֻאָה) e ‘redenção’/Geulá (גְּאֻלָּה). Além disso, as iniciais das palavras; ‘Que o pé da soberba não me atinja’ (Salmo 36:11-12) – אַל תְּבוֹאֵנִי רֶגֶל גַּאֲוָה – soletrar a palavra Etrog (אֶתְרג), sugerindo que o fruto do coração humilde é mais bonito aos olhos dos Céus.

    Se o Etrog (אֶתְרג) representa o coração, o Lulav (O ramo de palmeira junto as outras espécies) é dito que representa a coluna vertebral ou espinha dorsal de uma pessoa. Observe que a palavra Lulav (לוּלָב) pode ser decomposta como לוֹ (dele) e לֵב (coração). Uma pessoa que ama Hashem (D-us) ‘bechol levavechá’, de todo o seu coração, será dada uma “espinha dorsal espiritual”, ou seja, uma real convicção e força.

    Hidur Mitzvá (הִדּוּר מִצְוָה) é uma frase que significa “fazer um mandamento com agrado, lindo”, e nós queremos fazer a nossa Suká um lugar de beleza e bonito. Os sábios absorveram que a idéia por trás de Hidur Mitzvá (הִדּוּר מִצְוָה) vem do grande Cântico de Moisés: “Este é o meu D-us e eu vou ‘ter em grande conta’ (נָוָה)” (Êxodo 15:2).

    Uma vez que estamos rodeados por ‘nuvens da glória’ de D-us – e também por uma ‘grande nuvem de testemunhas’ que nos assistem à medida que caminhamos na fé (Hebreus 12:1) – é apropriado fazer o nosso melhor neste caminho ‘tendo em grande conta (נָוָה)’ Hashem!

    O Lulav – ou seja, o ‘perfumado boquet’ é feito ligando junta uma Palma de tamareira, dois ramos de salgueiro (aravot), e de três ramos de murta (hadasim).

    Está escrito no Salmo 27; ‘Pois me ocultará na sua Suká (סכה) no dia mal (ביום רעה)… e eu vou oferecer … na sua tenda com alaridos (Teruá) de cânticos (תרועה אשׂירה) , e fazer melodias para Adonay (ואזמרה ליהוה)’ (Salmo 27:5-6 ) .
    Sukot (Tabernáculo) se inicia na quarta-feira à noite. Hag Sukot same’ach!

Visualizando 2 posts - 1 até 2 (de 2 do total)

Você deve fazer login para responder a este tópico.