Talmud Brachot (DAF 55)

Home Fóruns Fórum Yeshua Chai Soando o Shofar Talmud Brachot (DAF 55)

Este tópico contém 0 resposta, possui 1 voz e foi atualizado pela última vez por  sofer 7 anos, 6 meses atrás.

Visualizando 1 post (de 1 do total)
  • Autor
    Posts
  • #24705

    sofer
    Participante

     

     
    תלמוד – ברכות
    Talmud – Berachot
    Rav Yehuda disse: Três coisas encurtam dias ou os anos de uma pessoa: Aquela que é dada uma Torah- תורה para ler e ela se recusa, Aquela que é dada um copo do Kidush- קידוש para dizer brachá- ברכה (benção) sobre ele e ela se recusa, e uma pessoa que assume um ar de autoridade(1º Samuel 2:3, 15:23, Jó 36:9, Isaias 2:17, Marcos 7:22 e etc.)

     

    Gemará- fornece as fontes bíblicas para estas coisas: Aquela que é dada uma Torah para ler e ela se recusa, como está escrito: ‘Pois isto (a Torá) é a sua vida pra que prolongues seus dias’. Se for dado um copo de Kidush (bênção) para dar graça sobre e ela se recusa, como está escrito: ‘Abençoarei os que te abençoarem’. Aquele que assume um ar de autoridade, como o rabino Chama o filho do Rabino Chanina disse: “Yosef morreu antes de seus irmãos, porque ele se portava com ar de autoridade excessivo”.

    Rabi Yochanan disse: HaKadosh Baruch Hu- הקדוש ברוך הוא (O Santo, Bendito seja Ele), dá a sabedoria apenas para quem já tem sabedoria, como está escrito: ‘ELE dá sabedoria aos sábios e conhecimento para aqueles que o entendimento.’

     

    Rav Tachlifa do Ocidente ouviu e repetiu antes Rabino Avahu. Ele disse-lhe: Você aprendeu de lá, mas nós aprendemos com o que está escrito: ‘No coração de todos os que são sábios de coração EU pus sabedoria’.

    (Provérbios 14:33, Eclesiastes 7:19 e etc.)

     

    Rav Chisda também disse: Um sonho que não é interpretado é como uma carta que não é lida.Rav Chisda também disse: Nem um sonho bom, nem um sonho ruim nunca são totalmente cumpridos.

     

     

    Gemará – pergunta: De onde é que vamos saber disso?

     

    Gemará – As respostas: É de Yosef, como está escrito: E eis que o sol e a lua [e onze estrelas se inclinavam a mim]; e na época sua mãe não era viva. [O sol que se refere a seu pai, e a lua que se refere à sua mãe, Rachel, mas ela nunca se inclinou para ele, pois ela havia morrido muito antes.].

    ‘Ou seja, Os sonhos, mesmos os proféticos oriundos de D-us, sempre vão ter algo inverossímil’.

     

    A Mesa de estar de uma pessoa é como o Mizbeach (Altar do Templo)

     

    Gemara – Discute que quando uma pessoa recebe um pobre à sua mesa, ele é recompensado com vida longa. Enquanto o Beit Hamikedash- בית המקדש (Templo) estava de pé o Mizbeach(Altar) expiou nossos pecados.  Agora que o Beit Hamikedash (Templo) está em ruínas, a ‘mesa de estar’ sobre a qual nós comemos toma o lugar do Mizbeach (Altar do Templo) e “expia” por nós.

    Esta comparação é aprendida no pasuk (versículo) em Yechezkel‘O Mizbeach (Altar) de madeira de um metro e meio de altura…’ ‘esta é a mesa que está perante Hashem (D-us)’ (Ezequiel 41:22).

     

    De acordo com o Rabi Rashi (1040-1105 França) e Radbaz (1479-1573 Espanha) em seu trabalhoMetzudat David este versículo refere-se à mesa no Beit Hamikedash (Templo), e é chamada deMizbeach (Altar) para nos ensinar que a ‘Mesa de Estar’ dentro de nossas casas pode servir como um altar. (Marcos 14:3, Lucas 22:14-30, Lucas 12:37)

     

    A partir do mesmo versículo, a Mishná (legislação rabínica) no tratado talmúdico Pirkei Avot (3:3)ensina que quando uma pessoa recita uma Divrei Torá (ministração) durante o curso de refeição, a sua ‘mesa de jantar’ torna-se como um Mizbeach- מזבח (Altar). Esta é também uma referência à capacidade de nossa ‘Mesa de Estar’ para santificar nosso Lar.

     

    Alimentando as pessoas pobres e recitando as palavras da Torá são duas vantagens que se complementam entre si: A Shlah (Sha’ar HaOsiyos, Emek Brachah, 6) explica que, enquanto a comida que oferecemos às pessoas pobres representa a oferta dos korbanot- קורבנות (Sacrifícios)a Hashem (D-us), a discussão da Torá na ‘Mesa de Jantar’ representa o abate de dos korbanot(Sacrifícios). Ao absorver a sagrada Torá em nossos corações, é que abate o nosso Yetzer HaRá- יצר הרע (obras da carne, inclinação pra o mal).

     

    O costume de entregar uma Divrei Torá- דברי תורה (ministração) nas refeições comemorativas, tais como o Shabat:

    Rashbatz também discute, em Magen Avot, seu comentário para Pirkei Avot (3:4), ele ensina o seguinte;

    “A pessoa deve fazer uma Divrei Torá (ministração) durante o curso da refeição. Só então é que a ‘Mesa de Jantar’

    se tornar como um Mizbeach (Altar) diante de Hashem (D-us)”. (Lucas 14:15)

     

    Esta é a origem do costume de entregar uma Divrei Torá (ministração) em um banquete de Rabinos antes do birkat Hamazon (benção após a refeição). Este antigo costume foi mantido e incentivado pelos líderes sábios da Torá das gerações anteriores.

    O costume de dar a predica – Divrei Torá (ministração) nas Sinagogas tornou-se recentemente assim.

    Podemos Ver no NT a onde a Mesa se tornou o Mizbeach- מזבח (Altar);

    Yeshua (Jesus) e os seus Shlichim-שליחים (apóstolos) reclinaram-se à mesa. Recebendo um cálice, ele fez a Brachá- ברכה (deu graças)… Pegando o pão, fez a Brachá (deu graças), partiu-o e o deu aos Talmidim- תלמידים (discípulos), dizendo: Isto é o meu corpo dado em favor de vocês… Da mesma forma, depois do Seder- סדר פסח (ceia de Páscoa {judaica}), tomou o cálice, dizendo: Este cálice é a nova aliança no meu sangue, derramado em favor de vocês. .(Lucas 22:14-20)

Visualizando 1 post (de 1 do total)

Você deve fazer login para responder a este tópico.