Uma unidade absoluta –

Home Fóruns Fórum Yeshua Chai Soando o Shofar Uma unidade absoluta –

Este tópico contém 4 respostas, possui 2 vozes e foi atualizado pela última vez por  Neide Souzakenyon 5 anos, 9 meses atrás.

Visualizando 5 posts - 1 até 5 (de 5 do total)
  • Autor
    Posts
  • #24652

    sofer
    Participante

    Uma unidade absoluta

    O Judaísmo é baseado em um estrito monoteísmo unitário e uma crença em um D-us indivisível.

    O ‘Shemá’, uma das orações judaicas mais importantes, encapsula a natureza monoteísta do judaísmo. (veja; Deuteronômio 6:4-9 – Marcos 12:29-30)

    Lemos nas Escrituras Sagradas: Shemá Israel, Hashem Eloheinu, Hashem Echad Escuta, ó Israel, Adonay é nosso D-us, Adonay é Um… Deuteronômio 6:4 (Marcos 12:29-30)

    Judaísmo e a ideia bíblica rejeitam veementemente qualquer conceito de pluralidade, com respeito a D-us, rejeitando explicitamente o politeísmo, dualismo, e trinitarianismo, que são incompatíveis com o monoteísmo como o judaísmo e a ideia bíblica entendem.

    O Eterno (D-us) é uma unidade perfeita. Isto significa que Ele não tem partes divisíveis ou características humanas. A multidão de alegorias, que empregamos a ELE não pode levar-nos a errar na questão da unicidade.

    Todas as várias alegorias que nós empregamos relacionam-se com um D-us que, na verdade é UM . Ele não tem várias características ou quaisquer características humanas. ELE é a unidade perfeita. Mesmo quando nos referimos a D-us como uma espécie ou onisciente, devemos reconhecer a limitação desta referência… Estas são caracterizações alegóricas.

    Ate mesmo quando usamos a palavra Deus, Dios, God ou Elohim, El ou Eloach e etc devemos lembrar que isto são títulos ou atributos que em algumas partes das escrituras são direcionadas ate mesmo a pessoas, ate mesmo estas palavras ou atributos não contem tudo que D-us é.

    No pensamento judaico, um nome não é apenas uma designação arbitrária, uma combinação aleatória de sons. O nome traduz a natureza e a essência da coisa nomeada. Ele representa a história e a reputação do que está sendo chamado.

    Isto não é um conceito tão estranho ou desconhecido à primeira vista. Em nossas línguas, que muitas vezes referem-se à reputação de uma pessoa como “o seu bom nome”. Quando uma empresa é vendida, uma coisa que pode ser vendido é o direito de usar o nome da empresa. O conceito hebraico/Judaico de um nome é muito semelhante a essas idéias.

    Um exemplo desta utilização ocorre no Êxodo 3:13-22: Moisés pede a Hashem que dê o Seu “nome”. Moisés não está perguntando; ‘de que devo chamá-lo’, ao contrário, ele está perguntando; ‘quem é você, qual sua essência’, ‘O que você faz’.

    Isso está claro na resposta de D-us. D-us responde que Ele é ETERNO EXISTENTE, que Ele é o D-us de nossos antepassados, que viu a nossa aflição e redimir-nos da escravidão.

    Êxodo 3:14-15: Respondeu D-us a Moshé: Ehyé Asher Ehyé (ETERNO) Disse mais: Assim dirás aos olhos de Israel: EHYÉ (Aquele que Existe) me enviou a vós.

    Em hebraico, dois “nomes” diferentes são usados para indicar as ações de D-us através de dois atributos diferentes. A Torá usa o titulo Elohim quando D-us age de uma forma de estrita justiça. E O Tetragrama (Havayah) – (יהוה) indicando que D-us está agindo com misericórdia.

    D-us é também conhecido como El Shaday. Este atributo é geralmente traduzido como ‘D-us Todo-Poderoso’.

    Cada atributo (nome) é ligado a diferentes concepções da natureza de D-us e os aspectos do divino.

    Como vemos; D-us é Um, revelado em muitas maneiras, mas nunca um nome se torna personificado. Caso contrário, teríamos um deus extra, que nunca seria a verdade.

     

    Não há crença em um D-us politeísta (Plural ou Triuno) na bíblia, mesmo que na própria bíblia encontremos o Messias nomeado com vários atributos divinos. Pelo contrário, as Escrituras declararam a unicidade de D-us, mesmo que as mesmas Escrituras atribuam títulos divinos ao Messias.

    Após a morte dos Emissários judeus crentes em Yeshua (Jesus) a influência judaica e do pensamento judaico de Jerusalém diminuíram drasticamente. O Trinitarianismo ou a Trindade (3 deuses em um ou um panteão de 3 pessoas Deuses) tornou-se um firme credo sobre a igreja cristã que se desenvolvia. Logo se Jesus era deus… Maria certamente seria a mãe de deus.

     

    Com a morte dos seguidores originais judeus de Yeshua (Jesus) e as verdades judaicas por eles promovidas desaparecerem, o pensamento trinitário se solidificou como doutrina da fé para a nova igreja no século 4, sob a autoridade do imperador romano Constantino que continuaram as suas ideias e pensamentos pagãos sem nenhuma influencia judaica.

    O Concílio de Nicéia de 325 D/C legitimou o cristianismo e o conceito da trindade. Logo se Jesus era deus… Maria certamente seria a mãe de deus.

     

    Na Torá ou no resto das Escrituras não contém nenhuma informação sobre a “Santíssima Trindade” (3 deuses em um ou um panteão de 3 pessoas deuses) em qualquer livro, capítulo, parágrafo ou verso.

    Os judeus seguidores do Messias Yeshua (Jesus) do 1º século nunca acreditavam em tal doutrina, e nunca ensinaram tal doutrina, pois eles acreditam que D-us é um!

    Como ensinava o Emissário Paulo; ‘D-us é a cabeça de Cristo’.

    (1º Coríntios 11:3) – D-us está acima de Yeshua (Jesus), D-us é o Cabeça… (João 14:28) Assim como o Messias é a cabeça da Congregação. D-us não é um Ser Humano. (João 4:24)

     

    Não devemos crer em uma trindade, ou uma tri-unidade ou três em um… e etc.

    Pode o sopro de D-us (Ruach HaKodesh – Espírito Santo) ser outra pessoa fora de D-us?

    D-us é UM, e : ‘E será que naquele dia Adonay será Um e o Seu Nome será Um.’ (Zacarias 14:9)- 1º Coríntios 15:24

    Como lhes foi ensinado: Esta é a vida eterna: que te conheçam, ‘O único D-us verdadeiro’, e a Yeshua HaMashiach, a quem enviastes. João 17:3

    #24653

    sofer
    Participante

    A Grandeza do Messias
    Para o Messias será dado todos os reinos da terra por sua herança:

    E foi lhe dado o domínio e a honra e o reino para que todos os povos da terra nações e línguas o servissem; e seu domínio é eterno, que não passará e seu reino não será destruído. Daniel 7:13-14, p. 1797.

     

    Rashi fala que aquele que; “veio ate ao ancião de Dias (ETERNO)” na passagem acima todas as nações e povos servirão ao Rei Messias:

    Rashi: ‘Um parecido com um ser humano’ – Este é o Rei Messias. “E chegou ate ao Ancião de Dias (Eterno) – que estava sentado para julgar e estava julgando as nações”

    Nachmanides também identifica “aquele como um ser humano” em Daniel 7:13 sendo o Rei Messias “e todas as nações e línguas o servirão” continuando ele proclama que o Mashiach irá exceder todos os homens por causa do conhecimento do Todo Poderoso,

    Ramban: “E a sabedoria o acompanhará esta é a elevação do Messias, e sua intimidade com D-us: Pois nem Abraham, no qual HASHEM (D-us) chama de seu amigo (Isaias 41:8), e com Moises que ELE fez uma aliança, que esteve mais próximo da Divindade do que qualquer outro homem, nem mesmo os arcanjos que ‘estão diante do trono a sua direita e esquerda’ (II Reis 22:29), puderam aproximar mais da intimidade e conhecimento do Todo poderoso do que o Messias; por que está escrito sobre o Messias ‘ e se aproximou se do Ancião de Dias’ (Daniel 7:13).”

     

    1 1 A. J. Rosenberg, trans., Mikraoth Gedolot: Daniel, Ezra, Nehemiah; A New

    English Translation (New York: The Judaica Press, 2000), pp. 67, 68.

    2 Ibid. p. 67. 3 Shaval, Rabbi Chaim Dov. P’rushei HaRamban al Neviim v’Ketuvim.

    (Jerusalem: Boys Town Jerusalem Press, 1963), p. 87.

     

    Malbim Também como os outros atribui “aquele como um ser humano (filho do homem, Ben Adam) em Daniel 7:13, Diz ser o Rei Mashiach (Messias) e escolhido D-us virá em forma humana:

    Malbim:… diferente daqueles que aparecem em forma de animais, aquele escolhido por D-us (o Messias) virá em forma humana… o Ben Adam (filho do homem, ser humano) herdará o Reino dos Céus e ele virá sobre as nuvens… Pois sua vinda é atribuída aos Céus.”3

     

    1 S. R. Driver, A. D. Neubauer, Edited by Prof. Harry M. Orlinsky, The Fifty

    Third Chapter of Isaiah According to Jewish Interpreters (New York: KTAV

    Publishing House, Inc., 1969), Vol. I (English translation), pp. 79, 80.

    2 Meir Loeb ben Y’hiel Mikhael (Malbim) Perush HaMalbim al Mikrei Kodesh

    (Israel: Meshor Holy Books, 1998), Commentary on Daniel 7:13.

    3 Rosenberg (English translation), p. 66.

     

    Hai Gaon:

    “… E naquele tempo, quando um homem aparecerá entre os filhos de Yosef (José)… e ele será chamado O Messias de D-us. E muitas pessoas se ajuntarão com ele na Galileia, e ele (Messias) será o Rei deles…

    Mas muitos em Israel estarão no exílio, estará claro para eles que o fim está próximo. E então o Mashiach Ben Yosef (Messias filho de José) com os homens que estão ao seu redor subirão da Galileia para Jerusalém… e quando o Messias filho de José e todos seus seguidores estiverem em Jerusalém, Armilus (anti-messias) ouvirá as boas novas e virá com mágicas e feitiçarias para enganar e desviar os seguidores do Messias filho de José.

    E Armilus (Anticristo) virá e fará guerra contra Jerusalém e matará o Messias filho de José (Mashiach ben Yosef) e seus seguidores, e matará muitos deles,…e o Messias filho de José será morto e haverá grande calamidade para Israel deste então… então por isto dizem: ‘Este é o homem pelo qual esperávamos; agora veio e foi morto …”

     

     

    1

    1 Eliezer Ashkenazi, Sefer Ta’am Z’qenim (Frankfurt am Main: 1854 – copy in

    The Jewish Theological Seminary of America, New York), p. 58

     

    Talmud tratado; Sucah 52a:

    “Os rabinos já ensinaram: O Hakadosh Baruch HÚ (D-us) falará para o Mashiach ben David (Messias filho de David – Rei), possa ele ser revelado ainda em nossos dias! (D-us dirá) ‘pesa-me qualquer coisa, e eu darei para você,’  por que está escrito, ‘Adonay me disse, você é meu filho, eu hoje te gerei, pede-me e eu te darei as nações por herança’ (salmo 2:7-8).”3

     

    Midrash Tehilim – Salmos 21:12

    ‘D-us chamará o Rei Messias pelo seu próprio nome (IHVH), porque é dito do Rei Messias seu nome era chamado: (IHVH) Adonay Tzadikeinu (nossa justiça).

    (Jeremias 23:6). Jerusalém também terá o nome de Adonay, por que é dito de Jerusalém ‘ o nome da cidade daquele dia em diante será Adonay’1

     

    No Midrash Mishlê – provérbios; Rav Huna fala dos sete nomes para o Mashiach, também tirado de Isaias 9:5:

    Rav Huna disse: ‘o Messias será chamado por sete nomes dos quais são; Yinon, Tzidikeinu [‘nossa justiça’], Tzemach [‘rebento’], Menachem [‘Conforto’],

    {Filho de} David, Shiloh, e Eliahu.{D-us é Yahu} 3

     

    ‘O Messias é chamado por oito nomes: Yinon, Tzemach, Pele [‘Milagre’], Yo’etz [‘Consolador’], Mashiach [‘Messias’], El [‘D-us’], Gibor [‘Forte’], e Avi ’Ad Shalom [‘Pai eterno da Paz’].’4.

     

    Midrash Rabbah Deuteronômio:

    “Eu tenho levantado Messias, por que do qual está escrito, ‘porque um menino nos nasceu(Isaias 9:5).”2

     

    Pesikta Rabbati, Piska 33:6

    “Você encontrara que no comecinho da criação do universo, O Rei Messias já veio a ser, porque ele já existia no pensamento de D-us muito antes de o universo ter sido criado. Da sua existência as escrituras dizem, ‘é brotou um tronco de Jesé(Isaias 11:1), não diz ‘ e brotará’ <mas sim ‘brotou>, implicando que o ‘rebento’ da raiz de Jesé já veio a existir.”2

     

    Pesikta Rabbati, Piska 36:

    “O que significa ‘ na sua luz nos podemos ver luz? ’… é a luz do Messias porque está escrito ‘ e viu D-us que a luz era boa(Genesis 1:4). Este verso prova que

    Dus Hakadosh Baruch HÚ, contemplava o Messias e sua obra antes do universo ser criado, e então sob seu trono de Gloria colocou seu Messias até poder aparecer na geração indicada. ”2

     

    Midrash Yemenita:

    “No futuro O Hakadosh Baruch HÚ (D-us), colocará o Messias na “Yeshiva Celestial”. E então todos chamarão o Messias de Adonay (IHVH). ’ Assim como eles chamam o Criador [Jeremias 23:6]…

     

    1 Shalom, Piska 36, p. 41.

    2 Braude, Piska 36, p.671.

    3 Yehuda ibn-Shmuel, ed., Midr’she G’ula (“Midrashim of Redemption”)

    (Jerusalem-Tel Aviv: Mosad Bialik-Massada, 1954; collection of Midrashim

    dealing with the Messanic Age and events.), p. 349.

     

     

     

     

     

    No Pirkei Mashiach, nós lemos sobre a parte do Messias do dia da ressurreição dos mortos:

    Pirke Mashiach:

    “Naquela hora (dia da ressurreição), O Hakadosh Baruch HÚ (D-us) coroará o Messias e colocará o capacete da salvação na sua cabeça e lhe dará esplendor e iluminação, e ele será adornado com roupas de honra, e D-us lhe colocará e uma alta montanha para que ele traga boas novas a Israel, dirá aos ouvidos de Israel ‘Yeshuah Karov’ (a salvação está próxima)

     

    “… Naquele dia das boas novas e regozijo, aqueles que dormem em Machpela, ele o Messias dirá: Abraão, Isaque e Jacó levantem! Basta! ‘E eles dirão quem é este que removeu o pó de nós?’ E ele dirá para eles Eu sou o Messias de Adonay. ‘Yeshuah Karov (a salvação está próxima!).’

    E eles responderão: ‘Se isto é verdade realmente vá e leve as boas novas a Adão o primeiro homem, para que ele ressuscite primeiro.

    Naquela hora ele dirá a Adão o primeiro homem, basta de dormir! E adão dirá quem e este que tira o peso dos meus olhos? E ele responderá ‘Eu sou o Messias de D-us dentre os seus filhos’. Em um piscar de olhos, Adão e toda sua geração ressuscitarão e Abraão, Isaque e Jacó e todos os fieis de todas as tribos e gerações por gerações do começo ao fim ressuscitarão no mundo com o som de jubilo e musica…”2

    1 Jellinek, Pirke Mashiach, p. 73.

    2 Patai (English translation), Pirke Mashiach, p. 202.

     

    Midrash Rabbah Esther:

    “E Jonas esteve nas entranhas do grande peixe por três dias e três noites…

    Os mortos também virão à vida após três dias e três noites… Porque está escrito,

    ‘no terceiro dia nos ressuscitará, e viremos diante dele. (ósseas 6:2).” 2

     

    1 Rabbi R. H. Goldman, Midrash Rabbah Esther (New York: Tiferet Zion

    Publication Society Inc., 1959), Parashah tet, gimel.

    2 Rabbi Dr. H. Freedman, ed., Midrash Rabbah Esther (London, New York:

    Soncino Press, 1983), Parashah 9.3.

     

    Apenas os sacrifícios de ação de graças permanecerão:

    Midrash Rabbah Levitico:

    “Rabi. Phinehas e Rabi. Levi e Rabi. Yohanan dizeram em nome do Rabino Menahim de Gallia: ‘Na Era por vir ‘todos os sacrifícios terão terminados, menos o de ações de graça não será terminado, e todas as orações terão terminadas, menos as orações (louvores) de ação de graça’.

    Como nós podemos ler: ‘A voz de gozo e a voz de alegria, a voz do esposo e a voz da esposa, e a voz dos que dizem louvai a Adonay Tzevaot (S-nhor dos exércitos). (Jeremias 33:11)

    – Isto se refere a ação de graça: as ofertas de ação de graça trazidas na casa de Adonay… Como também David disse: ‘os teus votos estão sobre mim, ó D-us, eu te renderei ações de graças (salmos 56:12).

    Isto se refere às orações “ações de graças” 1

     

    Mirkin, Midrash Rabbah Leviticus, Seder Tsav, parashah 9.7, pp. 95, 96.

    Midrash Rabbah Genesis, Seder Vayeshev, 88:7:

    Quem poderia esperar que uma criança pudesse nascer para Abraão e Sara na sua idade avançada?… Quem poderia imaginar que José pudesse se tornar um ‘rei’ após todos os seus infortúnios?… Quem poderia imaginar Moises depois que foi jogado no rio se tornaria o que se tornou?… Quem poderia imaginar Ruth, a gentia prosélita, se tornar parte da linhagem real de Israel? Quem poderia esperar que O Hakadosh Baruch HÚ (D-us) restaurar o Tabernaculo caído de David?… (Amos 9:11).

    Quem poderia esperar que o mundo inteiro seja restaurado como um, como se diz: ‘e então darei uma língua pura aos povos da terra para que todos invoquem o nome de Adonay, para que todos o sirvam com um só consenso’ (sofonias 3:9)

     

    Rabbi Dr. H. Freedman, trans., Midrash Rabbah Genesis, Seder Vayeshev,

    parashah 88:7 (London, New York: Soncino Press, 1983), pp. 818, 819.

    ———————————————————————————————————————————————

     

    Genesis Rabbah (Midrashim) do Rabi Moshe haDarshan:

    … Por que ele (o Messias) é maior do que os patriarcas, como é dito: ‘meu servo prosperará’ [Isaias 52:13]. Eu tenho aprendido isto da boca do Rabino Moshe haDarshan: que o redentor será concebido entre vocês não terá pai (humano), como podemos ler; ‘Eis aqui o homem cujo o nome é Tzemach (renovo), ‘e ele brotará do seu lugar(Zacarias 6:12); e então Isaias disse: ‘porque foi subido como renovo’ [Isaias 53:2] etc. Disse o Rabi Berhyah: O Kadosh Baruch HÚ (D-us) disse para Israel: vocês tem falando perante mim; Nós somos órfãos e não temos pai! (Lamentações 5:3): O Redentor que levantarei no meio de vocês também não terá pai (humano).

    Como podemos ler: ‘Eis aqui o homem cujo nome é Tzemach (renovo), ‘e ele brotará do seu lugar(Zacarias 6:12); e similar a Isaias‘porque foi subido como renovo perante ele’ [Isaias 53:2]2

    Book, Driver and Neubauer (English translation), p. 33.

     

    Philo de Alexandria (20 A/C á 50 D/C), embora não fosse um Rabino, este famoso judeu Grego e filosofo escreveu um comentário da Torá. Neste comentário sobre Genesis, ele fala sobre um homem no qual é chamado de “Tzemach” -“o renovo” Zacarias 6:12:

    Philo de Alexandria disse:

    “Eu tenho ouvido também um oráculo dos lábios de um dos discípulos Moises, no qual declara; ‘Eis aqui o homem cujo nome é Tzemach’ (Zacarias 6:12), um dos mais estranhos atributos (nomes), certamente, se supor que um ser é composto de alma e corpo como descrito. Mas se você supor que é este incorpóreo, que não difere da imagem Divina, então você concordará que o nome ‘Tzemach’ é bem empregado para descrevê-lo. Por que este homem (Tzemach . Messias) é o filho mais velho, no qual o Pai o gerou, e deste então o chamou de primogênito, em verdade o Filho assim gerado, seguiu os caminhos do seu Pai, e o moldou em muitas maneiras, olhando para o modelo patrão no qual o Pai forneceu”2

    F. H. Colson, trans., Philo, in eleven volumes (Cambridge: Harvard

    University Press, 1932), p. 45 (in “The Confusion of Tongues, 60-65).

     

    Rabino Rashi, (midrashim)  Miqueias 5:1:

    “ E tu Belem Efrata – Pois  David saiu como lemos (I Samuel 17:58): ‘ seu servo Jessé de Belém.’  E Belém é chamada Efrata, como é dito (Genesis 48:7): ‘ no caminho de Efrata, que é Belém.’ E ‘ Tu Belém Efrata é a menor no clã de Judá’ –  Isto é dito por causa da estigma de Rute a Moabita (conversa). ‘E de ti sairá o que governará (Rei Messias) Israel cujas saídas são deste os tempos antigos deste a Eternidade. – O Messias Filho de David. Como é dito: (salmos 118:22): ‘ A pedra que os construtores rejeitaram se tornou a pedra fundamental’. E sua origem é muito antiga- como é dito: ‘Antes do Sol existir seu nome é Yinon’ (salmos 72:17).”1

    (Nota: Rashi cita aqui o salmo 118:22, indicando o Mashiach (Messias) como ‘a pedra fundamental que os construtores rejeitaram’)

     

    Complete Tanach with Rashi, Commentary on Micah and Isaiah, CD ROM.

    Chicago, IL: Davka Corp.).

    #24654

    Shalom Beny!!

    Você tem facebook. Se tem, posso adiciona-lo??

     

    Abraços

    #24655

    sofer
    Participante

    tenho não…

    abraços

    #24656

    Really!!! Wow!!! Rsrsrsrs,. Ok entao!

     

     

     

Visualizando 5 posts - 1 até 5 (de 5 do total)

Você deve fazer login para responder a este tópico.