Yom Ha'atzma'ut – Lucas 21:29-32

Home Fóruns Fórum Yeshua Chai Eventos Finais Yom Ha'atzma'ut – Lucas 21:29-32

Este tópico contém 0 resposta, possui 1 voz e foi atualizado pela última vez por  sofer 6 anos, 6 meses atrás.

Visualizando 1 post (de 1 do total)
  • Autor
    Posts
  • #24819

    sofer
    Participante

    Será que estamos entre a “última geração” antes do retorno do Messias (המשיח)? Israel milagrosamente renasceu como uma nação em sua antiga terra natal em 14 de maio de 1948 (Iyar 5, 5708) – um evento assumidamente profético em relação aos “Fim dos Dias ou Eras” (אחרית ימים), profecias dadas pelo próprio Messias Yeshua (Mateus 24-25, Marcos 13, Lucas 21 ,. Isa 66:8).
    Se uma ‘geração’ pode ser considerada entre 70 – 80 anos de duração (Salmo 90:10), então, quando Yeshua (ישוע) disse; ‘esta geração ( γενε ατη)’ não passará até que todas estas coisas aconteçam’ (Mateus 24:34) , ele estava se referindo à geração (γενε) que marcaria a sua origem com a restauração do Estado de Israel (מדינת ישראל), o que implica ainda que a 70ª semana de Daniel (isto é, a Grande Tribulação- צרה גדולה) começará provavelmente nos próximos 5-15 anos (talvez)… E, embora “ninguém sabe o dia nem a hora” dos Acharit HaYamim (Últimos dias) e do retorno do Senhor, somos comissionados a discernir os “sinais dos Moedim (“tempos”)” (Mateus 16:3).
     
    מִי  שָׁמַע כָּזאת
    מִי רָאָה כָּאֵלֶּה
    הֲיוּחַל אֶרֶץ בְּיוֹם אֶחָד
    אִם  יִוָּלֵד גּוֹי פַּעַם אֶחָת
    Quem já ouviu tal coisa?
    Quem já viu tais coisas?
    Uma Nação pode nascer em um dia?
    Uma nação de ser trazida à luz em um momento?
    (Isaías 66:8)
    Note que este versículo é de ‘duplo aspecto’ profético, uma vez que será totalmente cumprida no início do Reino Milenar, após o retorno do Messias (ver Isaías 66:7-16;.. Romanos 11:26 e etc.).
    Enquanto isso, vemos a restauração da “Figueira” (os filhos de Israel), e entendemos que a grande colheita se aproxima…
     
    No entanto, sua referência chave para a geração profética de toda a Bíblia é dado à imagem de uma figueira. Esta árvore, aqui simbolizando a nação de Israel, é representada ‘dando as folhas’, como seria na primavera, se preparando para dar os frutos. O ponto é; a árvore (Israel) na profecia está crescendo, se enchendo de folhas para frutificar, e não ao contrario.
     
    Assim, ‘esta geração’ (הדור הזה), é a geração da “figueira” (תאנה), e muitas vezes passa por esse nome. Uma profecia chave dada por Jeremias (ירמיהו) faz esta conexão clara como o cristal.  (Jeremias 24:5-7)
    Jeremias diz que eles vão ser plantados e não arrancados. Eles foram, de fato, arrancados depois de terem voltados do cativeiro babilônico, quando o Templo (בית המקדש) foi destruído no ano 70 dC, e culminando no ano 135 dC, após a revolta liderada por Simeon Bar Kochba.  É no ultimo ressurgimento de Israel, que seriam permanentemente replantados. E o que acontece quando você planta um figo (semente)? Uma figueira!
    Esta é a geração a que Yeshua (Jesus) se refere, sem dúvida.
     
    Quando foi os figos (sementes) plantados?
     
    Os anos escuros seguintes após o primeiro século da diásporaGalut de quase 2 mil anos de Israel finalmente começam a clarear no ano de 1882, quando alguns judeus russos pioneiros no esforço para “fazer aliá” (voltar para a Terra prometida), e estabeleceram assentamentos nos desertos e pântanos na desolada terra de Israel. Seus esforços e o trabalho daqueles que os seguiram, levantou a consciência do judaísmo mundial.
    Em 1897, o primeiro Congresso Sionista Mundial, foi realizado na Basileia, Suíça. Planos foram estabelecidos para reconquistar Israel, até então dominada pelos turcos otomanos.
     
    A Primeira Guerra Mundial trouxe aquela região (Israel) para a visão dos políticos britânicos e seus generais. A Declaração de Balfour de 1917 prometeu aos judeus acesso a suas terras. Mas antes que isso acontecesse, os judeus da diáspora foram obrigados a suportar a tortura da Segunda Guerra Mundial, o Holocausto e os estragos do antissemitismo internacional.
     
    Na sequência do mandato das Nações Unidas, de 1947, David Ben Gurion declarou o Estado de Israel em 14 de maio de 1948, após quase dois mil anos de diáspora.
    Israel é colocado em um contexto internacional no relato de Lucas no Sermão do Monte:
     
    “Ele lhes contou esta parábola: Observem para a figueira e para todas as árvores. Quando elas brotam, vocês mesmos percebem e sabem que o verão está próximo. Assim também, quando virem estas coisas acontecendo, saibam que o Reino de D-us está próximo.    Eu lhes asseguro que não passará esta geração até que todas essas coisas aconteçam.”(Lucas 21:29-32)
     
    Aqui, o texto acrescenta uma nota adicional de esclarecimento. Não só devemos observar a “figueira (a nação de Israel), mas também observar as outras árvores, como bem. Se Israel é representada pela figueira, as outras árvores seriam as nações que se levantam em aproximadamente o mesmo tempo que Israel se tornou uma nação. A história recente revela precisamente este tipo de desenvolvimento.
     
    Dia 15/04/2013 ao entardecer se comemora o Dia da Independência de Israel, chamado Yom Ha’atzma’ut (יוֹם הָעַצְמָאוּת). A palavra atzma’utעצמאות(independência) vem da raiz hebraica atzmi – “os meus ossos (עצמות)” (ou seja, etzem: עֶצֶם), de modo que o próprio nome nos lembra da promessa gloriosa a D-us para reviver os “ossos secos” (עֲצָמוֹת) de Israel, trazendo o povo judeu de volta de seu longo exílio (Ezequiel 37:1-6). Ser Humano (בן אדם), poderão viver estes ossos?
     
    É muito importante entender que “A última geração” Dror HaAcharon (הדור האחרון) pode facilmente ser traduzido como “a geração final”, já que a palavra Acharon [אחרון] significa, “derradeiro, a última em ordem, último de uma série”, ou simplesmente, último.  É claro que essa profecia está se referindo à última geração – o que vem de volta para preparar Israel para trazer a Era do Reino.
     
    Mas por que os cristãos devem se preocupam com Israel étnico? Afinal, a maioria das denominações cristãs defendem uma versão ou outra da “teologia da substituição” e considerar as promessas que D-us fez com o povo judeu como pertencentes exclusivamente à sua igreja cristã… A existência do moderno Estado de Israel, portanto, evoca pouca graça para esses muitos grupos, e algumas das suas fileiras ainda consideram presença de Israel no cenário mundial como um embaraço para a sua típica teologia “liberal”. Daí, vemos os fenômenos (notavelmente ruins) dos chamados cristãos e suas denominações de igrejas que expressam o sentimento anti-Israel, antijudaico pedindo a seus membros boicotarem Israel em nome dos “palestinos”, e etc.
     
    Em resumo, devemos nos preocupar com Israel por causa da existência do povo judeu – e da nação de Israel em particular – demonstra que D-us é fiel à aliança e as promessas que fez a Abraão, Isaque e Jacó (Genesis 15:9-21). A perpetuidade do povo judeu – apesar de tanto ódio satânico no mundo ao longo dos milênios – é um testemunho impressionante do amor fiel de D-us (Jeremias 31:35-37).
     
    עַם יִשְׂרָאֵל חַי / Am Israel Chai: ‘O povo de Israel Vive’- Israel é um sinal das “fiéis graças a David” (חַסְדֵי דָוִד הַנֶּאֱמָנִים), que são culminantes em Yeshua, o Messias judeu (Isaias 55:1-6). Além disso, a Nova Aliança em si, como predita pelo profeta Jeremias (ירמיהו), explicitamente promete a perenidade do povo judeu através dos séculos (Jeremias 31:31-37):
     
    Eis que virão dias, diz Adonay (יהוה), quando farei uma nova aliança (בְּרִית חֲדָשָׁה) com a casa de Israel e a casa de Judá,… Mas esta é a aliança (ברית) que farei com a casa de Israel depois daqueles dias, diz Adonay (יהוה): Porei a minha Torá (תּוֹרָה) no intimo deles, e eu vou escrevê-la em seus corações… Eu lhes perdoarei seus pecados, e não me lembrarei de mais dos seus pecados. ’
     
    Assim diz Adonay (יהוה), aquele que designou o sol para brilhar de dia, que decretou que a lua e as estrelas brilhem de noite, que agita o mar para que as suas ondas rujam; Adonay Tzevaot (יהוה צבאות) é o seu Nome: “Somente se esses decretos desaparecerem de diante de mim”, declara Adonay (יהוה), então a semente de Israel (זֶרַע יִשְׂרָאֵל) deixará de ser uma nação diante de mim para sempre…” – (Jeremias 31:35-36)
     
    De acordo com esta passagem teologicamente crítica, se você viu o sol brilhar hoje ou as estrelas no céu noturno, você pode ter certeza de que as promessas de D-us a “descendência de Israel” – (ou seja, zera Israel: זֶרַע יִשְׂרָאֵל) – está em vigor.
    Na verdade, no mundo por vir (העולם הבא), a Jerusalém celeste que descerá dos céus sobre a Jerusalém terrena terá os nomes das doze tribos de Israel gravada em suas portas (Apocalipse 21:12).
     
    Note bem que esta é a única ocorrência no Tanach inteiro (ou seja, o chamado “Antigo Testamento”) que a tal Nova Aliança (בְּרִית חֲדָשָׁה) é explicitamente mencionada… É uma passagem fundamental das Escrituras para aqueles que pretendem serem seguidores (חסידים) do Messias judeu, isto é. Yeshua de Nazaré (ישוע הנוצרי) bendito seja o seu nome, bendito seja Ele… (ברוך הוא וברוך שמו)
     
    Nota: Todos os cristãos desfrutam das bênçãos verdadeiramente que vêm da raiz da aliança de D-us com Israel… Yeshua, nosso Salvador nasceu como Rei dos judeus, e disse claramente que a “salvação/redenção é (vem) dos judeus” (Mateus 2:2; 27:11, João 4:22). O Emissário Paulo advertiu claramente aqueles que pensam que a ‘igreja cristã’ tem “substituído” Israel: “Lembre-se que não é vocês quem sustenta a raiz, mas a raiz que os sustenta” (Romanos 11:18). Este doutrina do Emissário Paulo é tão fundamental que pode afetar você diretamente, pois, a forma como você pensa sobre Israel e os judeus afetará todas as outras áreas de sua teologia, sua fé, fidelidade a D-us e etc.
     
    A reconstrução de Sião- ציוןZion é o destino definido “para a geração futura”, em outras palavras, a ‘a ultima geração’. Quando Yeshua disse a seus Talmidim (discípulos): “Esta geração não passará, até que todas estas coisas aconteçam“, Ele estava falando da geração da “figueira” (Israel), e “todas as árvores. (Nações)”.
     
    Se as folhas da figueira se pode dizer ter brotado em 1948, então a geração é agora 65 anos de idade. Claro, ninguém pode ter certeza sobre a data de nascimento real da última geração. Por outro lado, não há qualquer dúvida de que estamos a testemunhar as condições que cercam a recuperação inicial de Zion. Devemos, portanto, estar na última geração, e é apenas cinco anos, até que Israel atinge a idade avançada grande de 70… os anos de uma pessoa avançada em anos.

Visualizando 1 post (de 1 do total)

Você deve fazer login para responder a este tópico.